13/12/2013 - MATANZA FEST São Paulo

Pisca Produtora Apresenta:

 

MATANZA FEST

“SÃO PAULO”

 

Shows:

 

- Matanza.

- Dead Fish.

- Vulcano.

- Test.

- Oitão.

 

DJs convidados.

 

Dia: 13 de Dezembro, sexta-feira 13.

 

Local: Tropical Dance.

Rua: Butantã, 336 – Pinheiros.

Cidade: São Paulo (SP).

 

Abertura das portas: 21:00.

 

Ingressos:

Venda On Line: Ticket Brasil

Site: www.ticketbrasil.com.br

 

Todos podem comprar os ingressos PROMOCIONAIS

- Promocionais e Meia-entrada:

1° lote – R$ 40,00.

2° Lote - R$ 50,00.

3° Lote -  R$ 60,00.

Na hora (local) – a definir.

 

- Inteira:

1° lote – R$ 80,00.

2° Lote - R$ 100,00.

3° Lote -  R$ 120,00.

Na hora (local) – a definir.

 

Todos podem comprar os ingressos PROMOCIONAIS

- Camarote:

- Promocionais e Meia-entrada:

1° lote – R$ 60,00.

2° Lote - R$ 80,00.

 

- Camarote - Inteira:

1° lote – R$ 120,00.

2° Lote - R$ 160,00.

 

Pontos de venda:

 

- Hole - Galeria do Rock - Av. São João, 439 - 1º andar loja 275.

- Shopping Oriente 500 - Rua Oriente, 500 2º andar – Brás.

- CadaQual - Rua Augusta, 2171 - Jardim Paulista.

- Papelaria Express (Posto Ipiranga) - Av. Santo Amaro, 2197 - Vila Olímpia.

- Chilli Beans - Vila Leopoldina - Rua Carlos Weber, 654 - Vila Leopoldina.

- Metal Music - Santo André - Rua Dona Elisa Fláquer, 184 - Centro - Santo André/SP.

- Age Of Dreams - São Bernardo - Av. Marechal Deodoro, 1754 - 2º Andar loja 33/36 - Centro - São Bernardo do Campo/SP.

 

Classificação: Acima de 18 anos.

 

Página oficial do evento no facebook:

https://www.facebook.com/events/230740900406738/?notif_t=plan_user_joined

 

Página oficial do evento no Brasil:

www.facebook.com/events/483804731709958/?ref=notif&notif_t=plan_admin_added

 

Produção: Pisca Produtora.

Informações: pisca@pisca.com.br - www.pisca.com.br

 

Cronograma do evento:

21:00 – Abertura das portas.

21:30 – Test.

22:15 – Oitão.

23:00 – Vulcano.

00:00 – Dead Fish.

01:30 – Matanza.

 

MATANZA

 

             O Matanza foi idealizado nos idos de 1996 por Jimmy London e Donida, com a ideia de explorar as melodias simples da fase inicial do cantor norte-americano americano Johnny Cash. A banda gravou a sua primeiro demo em 1998, chamada “Terror em Dashvillie”. Completavam a formação o baterista Nervoso e o baixista Diba.

            Em 1999, uma nova demo atrairia a atenção do produtor Rafael Ramos e levaria o Matanza a assinar com a hoje extinta Abril Music. O primeiro CD do grupo foi gravado em dezembro de 2000 e lançado em março do ano seguinte. “Santa Madre Cassino” não emplacou nenhum sucesso radiofônico, mas serviu para que o Matanza fosse conhecido em todo o Brasil.

            Já a história de “Música para Beber e Brigar” (2003), o segundo álbum do grupo, foi um pouco diferente. Os videoclipes das músicas “Pé na Porta, Soco na Cara” e “Bom é Quando Faz Mal” estouraram na MTV e o Matanza começou a lotar todos os seus shows pelo país. Em, em meados de 2006, o lançamento de “A Arte do Insulto” revelou uma banda imensamente mais profissional, apta a encarar a estrada. O destaque do disco foi “Clube dos Canalhas”, um dos principais hits do Matanza até hoje.

            Famosa pelos seus shows intensos, o Matanza é hoje formado por Jimmy London (vocal), Maurício Nogueira (guitarra), China (baixo) e Jonas (bateria). E a novidade da mais recente turnê da banda é o álbum “Thunder Dope”, lançado em novembro de 2012. É com ele que a banda busca um retorno ao rock cru e direto dos seus primeiros trabalhos. É o Matanza mais Matanza do que nunca: pesado, rápido, mal-humorado e tocando o country-hardcore que é a sua marca registrada.

 

DEAD FISDH

 

Vindo da terra do congo e da moqueca capixaba, o DEAD FISH costuma inflamar as centenas de fãs que lotam os seus shows. Cada apresentação é uma catarse enlouquecida de moleques quicando do palco para a platéia, num caos orquestrado e sem precedentes! Se pudéssemos represar a energia dispensada em cada apresentação da banda, daria pra iluminar o Maracanã em dia de clássico, por um mês! Rodrigo (vocais), Marcão (bateria), Alyand (baixo) e Philippe (guitarra) estão há 20 anos juntos, e, nesse tempo, souberam manter a integridade e a coerência acima de tudo, o que catapultou a banda para o topo do rock nacional.

 

Em 2012, lançaram o DVD 20 anos Dead Fish, gravado no Circo Voador, Rio de Janeiro. Foi uma verdadeira simbiose com o público, gerando momentos e imagens espetaculares. Felizmente, tudo captado em mais de 15 câmeras, dirigidas pelo premiado diretor, Daniel Ferro(rock Estrada). Já com uma boa vendagem alcançada, agora terá exibição na íntegra no Canal BIS HD, com estréia para dia 04/04, as 21:00h no Palco Principal!

Em 2013, prepara novo CD de inéditas, com previsão de lançamento para o Segundo semester. Muita coisa boa a caminho!

 

Algo que pode ser considerado unanimidade entre esses caras é o gosto pela estrada. E mais ainda pelo palco. Rodrigo, por exemplo, acredita que o sabor do palco é fundamental para mantê-lo vivo. “Gosto de ver que a gente ainda faz alguma diferença, ao vivo. Na real, sei que o maior diferencial da banda é realmente o show!”, declara o cantor, sem esconder o orgulho, para logo em seguida lembrar das coisas inusitadas pelas quais o DF já passou. Uma trajetória de muito aprendizado, como ele afirma: “Estivemos em cidades que nunca imaginávamos visitar. Conhecemos muita gente legal, que pensava diferente.”.

 

DEAD FISH inicia suas atividades no começo da década de 90 em Vitória, no Espírito Santo, com seus membros fundando a banda para se divertir com os amigos. Com duas demo tapes lançadas durante seus quatro primeiros anos e alguns shows pelas regiões sudeste e sul, a banda assina com uma gravadora independente do seu Estado para lançar aquele que seria o primeiro dos seus sete CDs, “Sirva-se”, lançado em 1998. O álbum vendeu mais de 10 mil cópias durante um ano de divulgação, fato incomum para uma banda independente, principalmente no começo daquela década.

Em 1999, formaram seu próprio selo chamado “Terceiro Mundo Produções Fonográficas”, que além de lançar outras bandas, colocou no mercado mais três trabalhos do DEAD FISH: “Sonho médio”, “Afasia” e “Ao vivo”, este, uma compilação de seus três primeiros trabalhos, gravado num show realizado em 2002 na casa Hangar 110, em São Paulo.

Em 2003, assinam com a gravadora carioca Deckdisc, e lançam mais dois trabalhos, “Zero em um” e “Um homem só”, sendo o primeiro responsável pela maior vendagem da banda, alcançando 30 mil cópias em um ano de lançamento (2004), e por alguns prêmios dentre eles o de revelação no VMB. Pela mesma gravadora fazem seu primeiro DVD ao vivo em parceria com a MTV, “MTV apresenta Dead Fish”

Em 2007, fez sua primeira série de shows fora do país usando o circuito de bandas de médio porte europeu como base, tocando na Alemanha e na Rep. Checa. Em 2009, o Dead Fish lança seu último álbum “Contra Todos”, também pela DeckDisk.

 

Nos últimos anos, o DEAD FISH fez diversas turnês no Brasil e no exterior. Além disso, abriu vários shows internacionais no Brasil, como Bad Religion, Pennywise, All, Shelter e Ignite. A boa exposição na MTV deixa o grupo com um leque de músicas cantadas a plenos pulmões pelo público – não é só empurra-empurra, não – e ao mesmo tempo remete ao início da banda, tocando em tudo o que é buraco no underground até praticamente reiniciar a carreira rumo ao mainstream.

 

OITÃO

 

Formado na cidade de São Paulo, em 2008, a banda Oitão conquistou público, crítica, e o underground nacional e internacional com um som extremamente pesado, letras de atitude, e um verdadeiro show de hardcore. O primeiro disco – “4º Mundo” (Independente, 2009) – coloca estes elementos em evidência, em um álbum de composições simples, de impacto e qualidade, com participações especiais de Jão (Ratos de Porão), Marcão (Lobotomia) e Marcus D’Angelo (Claustrofobia), importantes figuras do Punk/Hardcore/ Metal brasileiro.

De lá pra cá, além de shows em diversas cidades do país e entrevistas para importantes veículos, como a revista Roadie Crew e a TV Trama, a banda destaca-se principalmente pelas apresentações ao lado de ícones nacionais e internacionais do Trash / Metal / Punk, como Olho Seco, Claustrofobia, Periferia S/A, Raimundos, Delinquent Habbits(EUA), Brujeria (México), Nuclear Assault (EUA) e Extreme Noise Terror (Inglaterra), e participações em grandes eventos do gênero, como o Festival Goiânia Noise (GO), o Festival Punk na Páskoa (SP), Virada Cultural de Manaus 2011(AM) e a virada cultural de São Paulo 2012.

Em 2012, o Oitão prepara um álbum prometendo trazer toda a experiência dos últimos 4 anos em um trabalho ainda mais pesado. Para os fãs, isso talvez não seja possível, mas para Tadeu Dias (guitarra), Henrique Fogaça (vocais), Marcelo BA (bateria) e Ed Chavez (baixo), isso não parece ser uma tarefa difícil. Eles prometem quebrar ainda mais as regras e levar aos palcos e fones de ouvido muito mais barulho!

 

 

TEST 

 

Formada em SP, em 2010, a banda TEST é um duo (bateria, guitarra/vocal) que mistura varios estilos de rock extremo, com base no Death/Grind e é conhecida por realizar seus shows onde bem entende, usando uma Kombi e um gerador.

 

Com três anos recém completos, a banda já lançou uma demo, dois EPs, vários DVDs DIY, realizou quase 200 shows por todo Brasil, uma mini tour no México e duas turnês na Europa, percorrendo o caminho entre o submundo do Underground  e grandes festivais como Abril pro Rock (PE), Zoro Fest (Alemanha) e Obscene Extreme Fest em sua edição Americana. Em 2012, lançaram seu primeiro full length, Árabe Macabre. Gravado em casa pelos próprios integrantes, o disco foi lançado pela primeira vez em versão online, financiado por um projeto de crowdfunding para levantar R$ 50,00, para pagar o busão e os lanches consumidos durante a gravação (o projeto foi um sucesso e alcançou o seu objetivo em 20min). Esse disco hoje está disponível em 12" vinil e CD.

 

Adeptos do verdadeiro Faça Você Mesmo, quando resolve fazer um show, a banda entra em uma Kombi, dirige até o destino, monta o equipamento na calçada e toca. Tudo isso para "abrir" para bandas como Slayer, DRI e Cannibal Corpse, burlando o sistema, montando um palco em frente ao show horas antes da banda principal, sempre arrancando reações extremas de quem aguarda na fila pela abertura da casa. 

 

João, ex-Are You God, e Barata, que também toca na banda punk grinder D.E.R., Querem continuar lançando material e tocando na mesma velocidade das suas músicas.

 

VULCANO

 

Montar a biografia desta banda nos trás a memória uma época difícil em que o Brasil passava por uma forte transição política, social, econômica e musical, na Europa surgia a NWOBHM, e também surgiam bandas que revolucionavam o metal tradicional criando uma sonoridade mais agressiva que ficaria conhecido como Black Metal, Death Metal. Aqui no Brasil nos anos de 81 e 82 não foi diferente a dificuldade era muito grande. Só que não era assim que pensava Zhema, Paulo Magrão, Carli Cooper quando criaram a banda VULCANO. 

E foi assim que começou a trajetória desta banda que historicamente ajudou a enraizar e difundir o metal pesado por este país sendo considerada a primeira banda de black/death de toda América Latina, seu primeiro registro foi entre 82 e 83 com compacto duplo “Om Pushne Namah” cantado em português que hoje é uma verdadeira relíquia do metal underground brasileiro, e marca a trajetória de J. Piloni (bateria) pela banda. 

Os shows foram surgindo, mas as dificuldades eram imensas, a banda tinha que produzir seus próprios shows desde colar os cartazes como até montar a própria estrutura para tocar, mas tudo tinha suas compensações, isto servia de força para o Vulcano seguir em frente e em 84 lançam a demo-tape “Devil On My Roof”. 

As primeiras mudanças de formação começam a surgir e a banda ainda não tinha conseguido adentrar o tão fechado cenário metal paulistano da, por ser de Santos o Vulcano despontava-se mais pelo interior de São Paulo do que na capital fato esse que levou a banda a gravar no ano de 1985 o Vulcano Live!. Gravado no mês de agosto na cidade de Americana, sem qualquer tipo de mixagem, foi o primeiro disco ao vivo de metal lançado no Brasil e levou ao publico toda agressividade do metal pesado gerado por Zhema no baixo, Soto Junior na guitarra, Zé Flávio na guitarra base, Laudir Piloni na bateria e Angel nos vocais. 

E foi com essa formação que surgiu o primeiro disco de black metal brasileiro “Bloody Vengeance” em 1986 chocando a mente de muita gente. Um disco sombrio, obscuro com letras enigmáticas, indiretas e hoje em dia soa mais atual do que nunca. Nos anos que se seguem a banda lança o “Anthropophagy” (87) e o “Who Are The True” (88) que foi um grito de revolta a uma situação que vinha sendo imposta por uma mídia mercenária que não vivia as coisas que aconteciam no underground e queriam que as bandas se tornassem mais populares, pasteurizadas o que viria acontecer na década de 90. 

Contra isto e uma situação de coisas o Vulcano lança em 90 o “Rat Race” e resolvem dar uma parada para por as idéias em ordem. Neste período de reflexão o Vulcano ainda fez alguns shows, mas nada de concreto, é nesta época que a gravadora Cogumelo Records resolve relançar em cd os discos da banda e assim o Vulcano retoma o seu caminho a banda ainda participa no ano de 2000 de uma coletânea lançada pela gravadora com a musica Bloody Vengeance. 

Em dezembro de 2001 são pegos de surpresa com a morte de Soto Jr. (guitarra) vitima de pressão alta, foi uma grande perda iam se embora anos de amizade e experiências vividas dentro do cenário underground brasileiro. Em 2003 o Vulcano dá a volta por cima e grava um novo álbum intitulado “Tales From The Black Book”, com Zhema (baixo), Angel (vocal), Arthur (bateria), André (guitarra) e Passamani (guitarra) na formação, somente lançando em fevereiro de 2004 devido a problemas com a arte, este cd resgata toda a fúria dos anos 80 acumulados por todos estes anos de silencio. Trazendo de volta uma lenda chamada VULCANO. 

Após nova mudança de formação que atualmente conta com Zhema (guitarra), Angel (vocal), Arthur (bateria), Diaz (baixo) e Fernando (guitarra) lançam em 2006 o Split vinil na Suécia junto a horda Nifelheim com 2 músicas inéditas. 

Em 2009 lançam pela Cogumelo Record o álbum FIVE SKULLS AND ONE CHALICE. Esse trabalho traz a presença de Luiz Carlos Louzada, vocalista que já tinha passado pelo Vulcano anteriormente e que gravaria 2 sons neste disco. 

No inicio de 2010 Angel deixa a banda, que recruta novamente Luiz Carlos Louzada para assumir os vocais, agora a banda conta com além do citado vocalista, Arthur Von Barbarian (bateria), Zhema Rodero (guitarra), Fernando Nonath (guitarra) e Carlos Diaz (baixo).

Atualmente a banda está agendando shows pelo Brasil e América do Sul e ainda com uma Turnê Européia sendo agendada pela agência Blackened Mass Media para os meses de Abril e Maio de 2012. Divulgando seu mais novo trabalho Drowning in Blood (Renegados Records)